ARTIGOS

&infográficos

CRISE ECONÔMICA AFETA ENTIDADES SOCIAIS NO BRASIL


O Brasil presenciou nos últimos anos um agravamento da crise econômica e como consequência muitas organizações sociais do terceiro setor sentiram a queda das doações, prejudicando a expansão e até mesmo a manutenção de suas ações sociais.

Empresas do segundo setor conquistam rendimentos e consequentemente sua própria sustentabilidade através da comercialização de produtos e serviços, ou seja, seu público atendido é o mesmo que gera a receita (recursos) para a empresa.

Já no caso das entidades sociais é um pouco diferente, até porque o objetivo é o bem estar social de um público vulnerável economicamente. O público beneficiado recebe o serviço de forma gratuita, não gerando receita para a organização social, fazendo com que os projetos sociais tenham que se preparar também para mobilizar recursos.

Efeito Colateral da Crise

Organizações que prestam serviços sociais estão sofrendo com a queda nas doações. Em 2015, a AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente) teve queda de 30% nas doações, ocasionando cortes de custos e o fechamento de 2 unidades em São Paulo.

Na APAE – SP ( Associação de pais e amigos do Excepcional ), a crise pode ser vista com o aumento da inadimplência das doações, que passou de quase zero para 48%. A alta do câmbio também causa prejuízos acima de R$ 1 milhão com os testes do pezinho que são importados.

E a ONG Futurong, que atua na zona sul da cidade de São Paulo, demitiu 20% dos seus funcionários e congelou seu plano de expansão de atendimentos.

Com a crise econômica atual, ONGs de todo país diminuem seus atendimentos e realizam cortes no quadro de funcionários, gerando desemprego e prejudicando pessoas que dependem destas instituições para receberem o suporte necessário.

De acordo com Leonardo Letelier, CEO da Sitawi Finanças do Bem, organização que ajuda financiar projetos sociais no terceiro setor, uma das maneiras de lidar com a crise é criar alternativas para diversificar as possibilidades de receita e evitar a dependência de apenas uma fonte de doação.

Fazer mais com menos


Priorizando o apoio às entidades da África e Ásia, organismos estrangeiros passaram a priorizar suas doações e investimentos sociais nestes países, gerando queda nas doações internacionais.


Apesar das entidades sociais não possuírem fins lucrativos e econômicos, construir e manter uma estrutura que forneça serviços sociais de qualidade, requer profissionalismo e investimento.

Neste ponto surge uma equação para solucionar:


Como conseguir fazer mais com menos?

Ajudar mais pessoas com menos recursos disponíveis?

Diversificar fontes de receita e não depender excessivamente dos recursos públicos?



Sustentabilidade e Profissionalismo

Em tempos de crise, mais do que nunca as organizações do terceiro setor precisam investir em gestão e conquistar sustentabilidade. Ações sociais para serem efetivas precisam ser realizadas com disciplina e frequência, metas bem definidas e avaliações constantes para apurar os resultados obtidos.

Ter equipe profissional ainda é um grande desafio para a maioria das organizações sociais. Como afirma o gestor da Associação Brasileira Multiprofissional de Proteção à Infância e a Adolescência, em entrevista concedida ao site Movimento Nacional de Direitos Humanos:

“É possível profissionalizar a equipe até certo ponto. E isso é importante. Mas há dificuldade em conseguirmos profissionais qualificados em todas as áreas. Conseguimos atrair muita gente boa para a parte programática da ONG, para atuar em suas atividades-fim, mas para a parte administrativa, por exemplo, é mais difícil. Poucas organizações têm como pagar os salários de mercado para bons profissionais de administração.”

A prestação de contas por exemplo, é uma atividade fundamental, mas a ausência de profissionais qualificados na área administrativa, dificulta o cumprimento das inúmeras exigências necessárias. Este é apenas um exemplo que evidencia a urgência pela sustentabilidade econômica e consequente profissionalização no terceiro setor.



Inovar para Sobreviver

A grande maioria das entidades sociais são dependentes de doações e sentem possuir pouco ou nenhum controle sobre os recursos que determinam suas ações.

Em tempos de crise esta dependência que demonstra a falta de um modelo de gestão sustentável, faz com que muitas instituições do terceiro setor percam o vínculo com seu único ou mais importante patrocinador, enfraquecendo ainda mais sua atuação social.

O conceito de sustentabilidade sugere a possibilidade de reversão completa da dependência no entanto é um desafio considerável para as organizações sociais realizar a transição de uma situação de dependência para uma situação de sustentabilidade.

Inovar construindo um modelo sustentável não é mais uma questão de escolha, mas sim de sobrevivência.

Períodos difíceis exigem mudanças!

Muitas mudanças se tornam positivas ao longo do tempo. Um grande exemplo foi a Declaração Universal dos Direitos Humanos que nasceu como resposta à Segunda Guerra Mundial. Novas e boas leis muitas vezes nascem justamente após incidentes marcantes.

Loja Social União Global

Nasce uma alternativa...

União Global Brasil apresenta estratégias inovadoras e sustentáveis para auxiliar outras organizações sociais neste período sensível que exige reciclagem no modelo de gestão das entidades sociais, rumo a profissionalização e sustentabilidade do terceiro setor.

A Loja Social é uma das iniciativas da União Global Social, possibilitando que compras online mobilizem recursos para a realização de ações sociais. É uma forma alternativa onde pessoas conseguem ajudar projetos sociais por intermédio de suas compras online.

Além de incentivar as lojas a doarem uma porcentagem da venda para beneficiar o desenvolvimento de causas sociais, esta iniciativa permite a realização de compras online em sua loja favorita, sem nenhum custo adicional.

Doação Online

A Loja Social facilita doações para entidades sociais, SEM prejudicar o orçamento mensal de algumas famílias. Neste século XXI com o avanço da tecnologia, já é possível contribuir para o desenvolvimento sustentável de projetos sociais, mesmo que a renda mensal "apertada” de muitos brasileiros não permita doações contínuas e mensais.

Clique no link abaixo e conheça mais esta novidade criada pela Associação União Global Social:

CONHECER LOJA SOCIAL

Albert Einstein, o brilhante cientista do século passado, pouco antes de seu falecimento, em 1955, deixou o seguinte comentário: “Crise é a bênção que pode ocorrer com as pessoas e países porque traz progressos. A criatividade nasce da angústia, como o dia nasce da noite. É na crise que nascem invenções, descobrimentos e as grandes estratégias. Quem supera a crise supera a si mesmo sem ficar superado. Sem crise não há desafios, sem desafios a vida é uma rotina. Sem crise não há méritos. É na crise que aflora o melhor de cada um. Falar de crise é promovê-la. Acabemos com a única crise realmente ameaçadora, que é a tragédia de não querer lutar para superá-la”.